História da ACCM




A Associação das Colectividades do Concelho de Matosinhos (A.C.C.M.) é uma associação de direito privado que tem por principal objetivo a União das Coletividades do Concelho de Matosinhos, com vista à satisfação de interesses comuns e ao melhor desenvolvimento e prossecução das suas atividades associativas, com especial incidência para as vertentes da formação, informação e apoio técnico. Em suma, este organismo visa essencialmente representar os interesses e identificar e otimizar os meios e instrumentos que facultem o acesso ao trabalho, desenvolvimento e afirmação da vida e vivência(s) associativa(s).

Para levar a efeito estes pressupostos, compete à Associação: defender os interesses das coletividades junto dos diferentes organismos públicos e privados; promover ações de formação, seminários e afins com vista a melhorar o nível dos seus dirigentes; fomentar o intercâmbio de experiências e a troca de informações; dinamizar novos projetos, relações associativas e promover a cooperação das coletividades a nível local, regional e nacional em articulação com as estruturas representativas distritais e nacionais.

A primeira reunião da Comissão Instaladora desta associação realizou-se a 13 de Maio de 1997, nas instalações do Orfeão de Matosinhos.

A 23 de Janeiro do ano seguinte nas instalações da sua sede provisória, na Associação de Pais da Senhora da Hora, na Rua Vasco da Gama, 260, na Senhora da Hora, foram aprovados os seus Estatutos e eleitos os seus primeiros Corpos Sociais.

A 17 de Setembro de 1999 era lavrada a Escritura Pública de Constituição da Associação das Colectividades do Concelho de Matosinhos.

Durante oito anos lutou por uma sede social condigna e bem localizada. Assim, foi com natural entusiasmo que em Maio de 2006 procedeu à inauguração provisória da sua atual sede, na Rua Conde Alto Mearim, 385, edifício do Centro Municipal Joaquim Neves dos Santos. Antes disso, esteve instalada em instalações provisórias que gentilmente lhe foram cedidas. A sua primeira sede provisória foi na sede da Associação de Pais da Senhora da Hora, na Rua Vasco Santana 260, na Senhora da Hora. Com a mudança de instalações para a Avenida Manuel Pinto de Azevedo, 551 - Cave Esq°, Senhora da Hora, também a A.C.C.M. muda para estas instalações (2ª sede). Posteriormente, um protocolo com a Cooperativa de Habitação de Santo Ildefonso instalou a A.C.C.M. na Avenida Vasco da Gama, 930-C, Senhora da Hora. No entanto, ciente de que os seus sócios e os trabalhos que pretendia levar a efeito mereciam mais, continuou a esforçar-se por conseguir as instalações condignas de que agora usufrui.

Fiel aos seus objetivos, desde a sua fundação, já realizou inúmeras reuniões nas instalações das coletividades associadas; formação para dirigentes; rally paper, festas de Natal; homenagens a dirigentes e instituições (entrega de galardões); debates subordinados aos temas: “A Mulher e o Desporto”; “Evolução do Associativismo”; “Estrutura do Movimento Associativo”; “Organização, Contabilidade e Serviços”; “Rio Leça”; “Enquadramento Jurídico e Fiscal”; “Associativismo, Tempos de Mudança em Comunidade”; “A Terceira Idade e as Colectividades”; “A Juventude e a Terceira Idade”; “Ambiente em Matosinhos"; “A Juventude e as Colectividades”. Esteve também diretamente ligada à organização de exposições nas sedes das coletividades associadas e fez-se mesmo representar com um stand na Campisport (Feira de Desporto, Campismo e Caravanismo) na Exponor.

Procurando divulgar e sensibilizar as coletividades concelhias para o trabalho que se propunha desenvolver, no terceiro trimestre de 1998 inicia a publicação do boletim “Intercâmbio Associativo”, o qual, pretendia, antes de mais, promover e incentivar o intercâmbio inter-associativo e ainda coligir elementos com vista à elaboração de uma monografia das coletividades do concelho de Matosinhos.

Após uma intensa e cuidada preparação junto das coletividades, organiza com grande sucesso o 1° Encontro das Colectividades do Concelho de Matosinhos, cujas conclusões integram o apêndice documental desta obra e revelam a sua capacidade de agir e interagir junto dos associados e comunidade envolvente. Assim, e para além da organização, participação e representação em Festivais de Folclore; Encontros de Coros; Aniversários, entre outros, dinamiza ainda com grande sucesso a criação das Uniões de Freguesias.

Em suma, durante estes dez anos, várias coletividades foram atendidas pelos serviços jurídicos, de contabilidade e fiscalidade que a A.C.C.M. colocou ao seu dispor.

Encontra-se também representada através de alguns dos seus membros diretivos nos órgãos sociais da Federação das Coletividades do Distrito do Porto e na Confederação Nacional das Coletividades.

Muito já foi feito mas, a A.C.C.M. continuará sempre empenhada na defesa do movimento associativo de Matosinhos, a cidade e concelho.

A Direção da A.C.C.M.